terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Sobre encaixes



Somos como um quebra cabeça com um milhão de peças. Cada pecinha representa uma das nossas infinitas qualidades, desejos, nossos gostos, crenças e do nosso próprio corpo. Elas vem todas num formato diferente, que nem sempre vai encaixar com o quebra cabeça do príncipe encantado.

O beijo pode ter sido péssimo, e ainda assim não significa que ele beija mal, apenas que cada um beija do seu jeito. É por isso que as vezes dar as mãos é doído, abraçar é desajeitado e transar é uma droga. É porque existem tantas peças que algumas coisas não se coincidem.

O cara pode ter o corpo mais esculpido do mundo, e quando vocês se conhecem suas ideias e ideais não se batem, e de deus grego ele transforma-se em um completo idiota. Isso é resultado de algumas peças que possuem formatos completamente desigual. E não significa que outras peças também darão errado. Que você precisa desistir, que ele não é o cara da sua vida (e que ele é de fato um completo idiota). Existem muitos outros pequenos detalhes que podem combinar.

Se tentar forçar o encaixe de duas peças, mesmo desajeitadas, podem acabar se adaptando. Evidente que nem sempre dará certo, e aí alguma das peças se lasca, entorta, muda de formato. Pra sempre ou não, alguém carregará uma marca de um aprendizado do passado.

Não pense como o fim do mundo se já tentou várias vezes que seu quebra cabeça se adequasse com o de alguém. É demorado, árduo, precisa de paciência e muita força de vontade. Um companheiro que não se encaixou nunca é uma perda de tempo, é uma experiência. Não tem problema se tiver desencaixes. Algumas coisas são bonitas assim. Não é o fim. E relacionamento não significa só romance. Significa amizade, companheirismo e tantas outras coisas que são tão boas quanto.

Vai chegar uma hora, que vai chegar uma pessoa, que vai ter tanta coisa que vai se encaixar, que será bizarro. E aí tu vai rir e se sentir completo e pensar como essa teoria estava tão certa. E então, finalmente, você terá encaixado todas as uma milhão de peças do seu quebra cabeça, que formará um belíssimo quadro lotado de felicidade que você poderá expor para quantos visitantes desejar.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Pra quando você chegar.



Moça, eu não sei se você já chegou, mas tenho umas coisas para te falar. 

Já faz um tempo que eu e ele não temos mais nada, e nesse meio tempo vocês já podem ter se encontrado. Ele é um cara bom, sabe? Vai fazer tu se sentir completa, e te deixar com saudade por um tempo que eu diria ser... sempre. Está certo que ele é um pouco orgulhoso e cheio de si (você já deve ter percebido), mas é só uma casca que ele criou pra camuflar todos os sentimentos que ele não gosta de mostrar pra ninguém.

Devo te avisar que no começo será mil maravilhas! Ele se adapta à qualquer tipo de pessoa, vai ser o cara que você nunca sonhou e que agora é tudo que você precisa. Uma hora ele vai tocar na sua ferida, e invés de doer, vai sarar. Você provavelmente ficará um pouco viciada nisso, nessa coisa dele consertar tudo que estava errado antes dele chegar. Um dia vai parecer que ninguém mais é tão legal quanto ele, nem tão inteligente, nem tão bonito, e nem tão talentoso. Isso fará você querer deixar de lado algumas amizades, mas não faça isso. Ele pode te machucar, a única pessoa que você vai querer recorrer será o causador dessa ferida e você não poderá.

Ele é bom com discussões. Tem argumentos que deixariam qualquer um sem palavras. Discuta com ele, ele gosta de conversas longas e produtivas. Vai jogar muita coisa na sua cara, e muita coisa não será boa. Talvez ele diga que você só pensa em si ou que você precisa ser mais decidida pro que quer da vida. Não se abale, porque ele vai te inspirar a ser alguém importante nesse mundão. Quando ele pegar muito pesado, releve, às vezes ele não pensa ao agir, a vida dele é provavelmente mais estressante que a sua. Logo ele se dará conta de como não foi muito legal e se desculpará. Caso não faça isso, esqueça. Ele vale a pena.

Uma vez ele disse que eu era importante, por isso deixou que eu conhecesse um pouco dele de verdade. Ter me contado pode ter sido um erro, já que deixei de ser a guria que deixava-o bem para ser ninguém, então não espere que ele se abra pra ti logo de cara. Minha teoria é que ele já deve ter passado por coisas que o destruíram de uma forma que o fez não ter mais confiança nas pessoas. No entanto, se um dia ele te contar, ah, guria, é possível que você tenha conquistado o coração desse rapaz. É importante que você o ame quando isso acontecer. Não acabe com o coração dele. Ele merece a melhor guria de todas. 

Eu queria te contar tanto sobre ele que eu ficaria aqui a madrugada inteira, porém o objetivo disso é que eu preciso que você cuide dele, mesmo que ele diga que sabe se cuidar. Cuida sem ele perceber. Não prenda-o, ele gosta de ser livre. Só esteja lá quando ele precisar, e não esteja quando ele não quiser. Se um dia ele parar de te responder, tenha certeza que o silêncio dele também é uma resposta, então afaste-se. Não estrague tudo se ele voltar. Por favor, faça ele ser o cara mais feliz do universo. Está nas suas mãos agora. E por último, se você puder, diga que sinto saudades e que ele sempre estará guardado no meu coração.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Orgulho-me de você



O que seria da sua vida se você estivesse ali apenas para sobreviver todos os dias?
Pois é, essa é a vida da minha vozinha que aos 60 e poucos anos acorda todos os dias apenas para passar por aquele dia. Parece triste não é? Não poder ser independente, depender de alguém para te levantar, alimentar, banhar e fazer você sorrir um pouquinho.

É triste mesmo, vê-la ali quietinha, com dificuldades em se recordar quem são aqueles a sua volta. Quem é a pessoa que esta te pedindo benção, que fala “fica com Deus vó”. Mas ela como uma mulher forte que sempre foi, continua ali tentando todos os dias não somente sobreviver, mas ver a família linda que fez que nasceu graças a ela, ao seu carinho tremendo de unir a família em todas as datas comemorativas ou demais datas.

Mas mesmo com todos seus probleminhas, acredito que ela tenha um grande objetivo nessa vida, pois não é possível uma senhorinha que desde que a conheço seja doente, esta lá ainda, olhando para mim para se lembrar quem é essa que te pede benção.

Pra mim o papel dela é unir toda a família nas datas comemorativas. Creio que se não fosse ela, se não fosse o fato dela estar de cama, toda família não iria se reunir em datas especiais para visitá-la. Talvez se ela fosse saudável como todas as outras vovós por ai, não teríamos uma família linda que me orgulho.

Desde que me conheço por gente, quis aquela vó dos filmes, que mima os netos, que brinca com os netos, uma vó amiga pra quem você pode contar tudo, mas mesmo que minha vó nunca podê correr e brincar comigo, hoje eu vejo que a culpa de eu não ter uma vó presente, foi toda minha. Se eu tivesse ido visita-las mais vezes, talvez ela não acordasse todos os dias apenas para sobreviver, mas para abrir um sorriso pra sua neta por ter lembrado dela naquele dia.

Achava tão bonitinho ela dançando com seu único braço que se mexia tão feliz por me fazer rir, e hoje nem isso que pra mim era a coisa mais fofa do mundo, ela pode fazer. Era um orgulho pra mim vê-la ali tentando todo dia escrever com a mão esquerda que hoje nem se movimenta mais.

Hoje eu não quero mais uma vó que corre e brinca comigo, quero que o movimento da sua mão esquerda volte pra ela poder escrever e dançar novamente. Quero que ela acorde não para sobreviver, mas para ficar feliz por ter uma família linda a sua volte, uma família que ela deveria se orgulhar, pois esta ali por ela e pra ela.

Uma pena vó que a senhora não possa ler e não consiga me entender todos os dias. Sei que não a visito com frequência, mas saiba que sempre peço a Deus que mesmo que você apenas sobreviva, que continue com a gente por muito tempo. Sei que a senhora sofre por ter essa vida dependente de seus filhos, mas observe, todos estão ali para a senhora, se a senhora deixar a gente talvez nas datas comemorativas, não tenhamos toda a família reunida.


Desculpa não visita-la com frequência, mas vê-la em uma cadeira de rodas sem poder me responder, olhando para o horizonte, tira-me as lágrimas por não poder fazer nada pela senhora.

Mas mesmo assim vó te amo e me orgulho por ser fruto de uma mulher forte como a senhora. Nunca desista, seja sempre forte pois quero que meus filhos conheça a mulher que deu origem a essa família italiana grande e feliz. 

sexta-feira, 24 de julho de 2015

No nosso contrato dizia: Não é amor.


Aí você me ligou às 3 da madrugada com uma voz de choro (tentando me fazer acreditar que era mais raiva que tristeza), e me contou todas as suas desventuras com uma tal de Mariana. Aquilo não era amor. Tirou sua blusa e jogou em cima de mim no dia mais frio do ano, dizendo que não, não estava com frio, podia ficar, não se preocupe, isso não é amor.

Me levou no cinema e combinamos que éramos só amigos. Chegamos de mãos dadas e eu coloquei minha cabeça no seu ombro quando cansei de olhar pra tela. Segundo o contrato, aquilo não era amor. Viajei com a faculdade e senti tua falta do começo ao final dos dias, imaginando como seria muito mais legal poder compartilhar essa experiência contigo pessoalmente do que por fotos. Estava longe de ser amor.

Você esqueceu um papel no meu carro, eu quis te devolver, você disse que não precisava, eu levei mesmo assim, não porque eu só queria te ver, mas porque não gosto de ficar com nada que não é meu (exceto você). Nem por isso foi amor.

Ouvi as últimas músicas que você mandou e prestei atenção em cada frase para ver se alguma delas falava sobre mim. Não era amor. Fizemos amor no meio da rua, mas só chamo de amor pra eufemizar o sexo, porque o contrato dizia que de amor não há nada.

Você me contou que estava se apaixonando pela tal de Mariana e que só pensava nela, e que ela era perfeita, e que talvez fosse amor. Eu senti medo de te perder, de não termos mais mãos dadas, nem cafuné, nem madrugadas de companhia (sem conchinha). E esse sentimento não era amor.

Quer saber? Eu só não te amei pra te ter por perto. Engoli o choro e botei um sorriso na cara, porque nunca foi amor. Enfiei na cabeça que era melhor estar contigo e tu estar com mais trinta, do que estar com qualquer outro e nunca mais nem poder brigar contigo. O que não entrava na cabeça era a possibilidade de te desconhecer. O nosso contrato dizia que não era amor, por isso nunca foi.

sábado, 4 de julho de 2015

Se minha vida fosse um livro.



Se minha vida fosse um livro, você seria a parte em que tudo começa a ficar bom. Sabe quando de repente não se consegue mais ler só uma página? E todo final de capítulo te implora pra ler o próximo? E seus olhos começam a jorrar lágrimas porque estão lutando entre o sono ou o ápice da história? É bem aí que você está.

De umas páginas pra cá tu tem se tornado protagonista da minha trama. Ainda não está claro sua exata importância na minha biografia. Se eu pudesse virar algumas páginas eu teria a resposta de tudo. Só que aposto que nada teria sentido, de tantas pontas soltas. E também não quero pular todas as coisas boas (e as ruins) que nós iremos passar. O bom é ler letra por letra, linha por linha. Sentir tudo bem sentido.

Se minha vida fosse um livro e eu tivesse leitores, você estaria encantando todos eles. Neste momento mesmo, alguns deveriam estar implorando pra aparecer alguém como você em suas vidas. Pra eles você é o cara que só existe nos livros e isso me enche o peito, porque eu te conheço em carne viva. Mas não sou hipócrita, talvez você também seja protagonista de algumas outras histórias. Você não é o tipo de personagem que passa despercebido quando esbarra em outras narrativas.

Tenho um pouco de medo, confesso. Você pode achar com facilidade outros romances muito mais interessantes do que a nossa improvável história de... O que quer que seja. Somos duas pessoas difíceis, e eu, particularmente, sou terrível. O escritor não ligou quando me criou com milhões de defeitos, e deve ter pensado que seria fácil digitar um final feliz pra mim. Eu sei. Nem todos os finais são felizes. Torço mais pelo seu final feliz do que pelo meu próprio. Porque eu já aguentei vários outros finais catastróficos, mas não aguentaria te ver nessa posição.

Sim, o seu final porque existe sempre dois lados da moeda. E se sua vida também fosse um livro, bem, eu estaria por lá. Tentando protagonizar. Ser tão importante na sua história como você é na minha. E mesmo seu roteiro tendo muito mais conteúdo, gostaria que ambas se cruzassem por um longo tempo. Queria continuar por aí até um dia conseguir te recompensar pelas melhores páginas da minha vida, que, coincidência ou não, só começaram a acontecer depois da primeira vez que seu nome apareceu num capítulo totalmente destruído.

domingo, 28 de junho de 2015

A única delas é você.

Foto: Lukasz

Já conheci milhões de mulheres, e apaixonei-me por um bocado delas. Cada uma desfrutava de uma peculiaridade. A maioria ofereceu-me pelo menos uma boa noite de sexo. No entanto nenhuma delas era como você. Nem a mais exótica, nem a mais conservada. Juro, não era porque elas foram fáceis de conquistar, nem porque elas abriram as pernas no primeiro encontro e você não. Porque você também fez isso. Só que por algum motivo era você que sempre esteve lá quando meu desejo era pular da sacada do meu prédio. Não foi nenhuma delas que chegou no meu coração e vasculhou todas as minhas dores. Tu que me colocou nos eixos. Até quando eu corria atrás de um desses ordinários pedaços de corpo você me dizia que "não se brinca com os sentimentos de ninguém". Mas nunca ligou se eu brincasse com os seus.

E eu nunca brinquei.

Eu odiava a sensação de necessitar do seu abraço. Costumava carecer de algo que aparentemente seria muito mais complicado conseguir. E, droga, tudo o que eu queria era ouvir a sua respiração acelerada logo depois de uma corrida no parque. Tocar sua mão fingindo que sei fazer a melhor massagem de mãos do universo. Enxugar suas lágrimas na minha camiseta só pra poder sentir mais de perto o seu cheiro. Eu queria decorar todos os seus detalhes... Sua falha na sobrancelha, suas infinitas pintinhas escondidas no seu próprio rosto, os espasmos da sua mão quando você dormia, e tantas outras bobagens que eu só procurava em você.

Nenhuma outra mulher mereceu as horas que eu passei falando de ti para os meus amigos que não estavam nem um pouco interessados. Foi você quem me fez ficar acordado nas infinitas madrugadas imaginando como a soma eu + você no meu colchão surrado resultaria numa noite bem mais aconchegante do que com elas. Porque contigo eu digo "fica mais um pouco" e pra elas eu despejo "tenho que ir". Você me chama pra um concerto e elas me convidam prum motel no meio da estrada. Elas me pedem um oral, e você, um abraço. Elas somem por um mês inteiro e você aparece todas as manhãs. Elas reclamam de como fulana estava mais bonita que ciclana e você me conta de todos os seus sonhos impossíveis. Meu desejo é sempre mandar elas calarem a boca, e fazer os seus sonhos impossíveis tornarem-se nossos sonhos totalmente possíveis.

Você é a única que me entende quando digo que multidões me sufocam, que músicas são como tranquilizantes, e que liberdade é necessidade. As outras me arrastam para baladas lotadas de sons e pessoas que estão lá só por mais uma noite abarrotada de vazio. Você é a única que me odiará por todos os erros que eu cometer, e se odiará por não conseguir fazer de mim um cara melhor, e mesmo assim sempre voltará, porque sua preocupação extrapola qualquer outro sentimento - as outras sempre desistiram nos meus primeiros tropeços. Você é a única por quem eu trocaria uma noite de sexo por um dia de conversa. Que deixa os problemas de lado pra se aventurar comigo pelo mundo. Que me aceita quando o resto do mundo me vira as costas.

"As outras são só as outras."

Você é a única que sempre estará comigo e que nunca será minha.

ShareThis